BOAS DICAS :-)

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Clipe do ASES - Função Social da Aviação (3/3)

Nesta Semana que encerramos o Mès dos Aviadores no Brasil, lanço o Canal do Youtube do ASES - Apoio Aéreo em Situações Especiais (ACES - Air CarE in Special Situations). É mais um meio de divulgarmos nossas ideias e atividades em prol de uma comunidade aeronáutica mais conectada à sociedade brasileira.

Acompanhe nosso canal e nossas campanhas em favor de outras redes de apoio aéreo!

Bons voos e pousos - seguros:-)

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Função Social da Aviação? - 11 ANOS do ASES - Apoio Aéreo em Situações Especiais - Pilotos levam pacientes em tratamento a centros de referência (2/3)

Nunca ouviu isso? OK, eu também não. Até porque eu achava que havia inventado/adaptado esta expressão até ver materiais como o do vídeo que compartilho.
Public Benefit Aviation in America Public benefit flights are in the air every day across the U.S.A. We can do that in Brazil. Read and know how we can initiate...

Convido-o a dar uma olhadinha no vídeo ao lado e continuar lendo.

Mas espera aí. Não há nenhum paralelo com a tal "função social da propriedade", ou quaisquer cunho ideológico associado. E nem vou comentar o Artigo 5° da Constituição de 88 (XXII - é garantido o direito de propriedade; mas... XXIII - a propriedade atenderá a sua função social;). Não se trata disso.
Se trata de algo NADA IDEOLÓGICO, MAS DE ALGO TANTO LÓGICO QUANTO INTUITIVO: TEMOS QUE AJUDAR, TEMOS QUE SER SOCIEDADE. 

Steve Purello, ganhador do Prêmio do Angel Flight West Endeavor Award disse-me este ano no Centro de Operações da Angel Flight SouthEast: "Madruga, RECRUIT PILOTS." Simples assim. E completou: "Eu chego pro proprietário de um avião de US$ 50... 100.000 e digo: olhe só pra beleza que é seu avião, o gasto que você tem com ele... VOCÊ TEM QUE AJUDAR. E eu sei como fazer você ajudar.

E se você conhece algum dono de avião, helicóptero, experimental ou não, já deve ter visto inúmeras vezes ele se esmerando, polindo e comprando os melhores equipamentos para mantê-los como obras-primas dos campos de aviação. Acontece que também os vi várias vezes conversando para onde iriam no próximo fim-de-semana, ou se iriam ou não em um festival aéreo...

FUNÇÃO SOCIAL DA AVIAÇÃO: NADA IDEOLÓGICO, MAS DE ALGO TANTO LÓGICO QUANTO INTUITIVO: TEMOS QUE AJUDAR, TEMOS QUE SER SOCIEDADE. 

"Madruga, go to other side of the table and Say: I know how you can help."
Conheço, particularmente, muitos que ficam se perguntando como manter suas preciosidades aéreas gastando menos. Porque, pode ter certeza, É FÁCIL SE TORNAR UM MILIONÁRIO NA AVIAÇÃO. BASTA VOCÊ SER BILIONÁRIO. Gasta-se muito com qualquer coisa carimbada "Aviation". Pegue um Boné de R$ 5,00 e escreva "Aviation". Pronto, ele de saída custará US$ 10,00.
Onde quero chegar?
Ao ponto de podermos motivar a aviação brasileira tanto e com mais responsabilidade social, a ponto de tais iniciativas criarem condições para, por exemplo, ao abastecer tua aeronave para um voo de uma rede sem fins lucrativos como o ASES (Apoio Aéreo em Situações Especiais), tal comprovação se converter em Doação para efeitos de Imposto de Renda. Se utilizares lubrificante "X" na inspeção de manutenção da Oficina "Y" seja abatido tantos % das Taxas junto à ANAC. Isso já ocorre em outros países, como nos EUA.
Outra medida que promoveria mais a formação de aviadores e a Utilidade Pública, de que os Aeroclubes são possuidores de tal status:
Se você conhece o mínimo da formação de um piloto comercial, sabe que primeiro a gente precisa "aprender a voar" (Piloto Privado). Quando se processa a instrução de Piloto Comercial o que ocorre é simplesmente uma Acumulação de Horas de quem já sabe voar. Necessita-se fazer, por exemplo, "X" horas de Navegação Aérea, pouco importando na maioria das vezes para aonde. Mas não se transporta pessoas ou carga, a não ser o instrutor, uma prancheta e seu lanche. E nem pode, pela legislação atual. Há - e tem que ter - restrições legais para se evitar táxi aéreo clandestino,  o seguro da aeronave é para atividade de instrução e não cobriria um eventual dano material/moral de passageiros não envolvidos com a instrução, enfim.
Mas... um avião de aeroclube, por exemplo, com capacidade de 2,3,4 passageiros queima combustível só pra 2 ocupantes acumularem 3 horas de voo (como um piloto comercial em instrução faria...). Por terra, com todos os perigos do trânsito, inúmeros pacientes em tratamento nos grandes centros necessitariam percorrer a mesma distância em quase 10 HORAS!
Olhe este Vídeo:

Resumindo: podemos, sim, destacar um ou dois aeroclubes devidamente autorizados pela ANAC e com suas apólices de seguro adaptadas para iniciarmos um projeto de apoio aéreo específico a determinados pacientes. Tudo isso gerenciado pelo Operações do ASES. E, futuramente, pode-se até abater as horas de voo de tais alunos, uma vez que a Distribuidora de Combustíveis "Y" consegue abater no Imposto de Renda tal Doação. Basta um bom e sério advogado tributário.
O aeroclube se torna um real meio de Utilidade Pública, do que um mero Yacht Club Aéreo (como o pessoal de fora normalmente nos vê), ajuda a manter as aeronaves e as formações e sua função social mobiliza a comunidade aeronáutica como um todo.


Será que podemos estar lá, em 2016?
Saiba mais em:
http://www.facebook.com/asesaces

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

11 ANOS do ASES - Apoio Aéreo em Situações Especiais - Pilotos levam pacientes em tratamento a centros de referência (1/3)



Em 08 de outubro de 2015, o ASES (Apoio Aéreo em Situações Especiais) completou 11 ANOS de seu primeiro voo de Apoio Aéreo voluntário. A importância disso? A comunidade aeronáutica brasileira encontrava o caminho mais curto entre o Lar e a Esperança. Leia abaixo o primeiro de 3 posts que publicarei neste mês dos Aviadores..
October 8th, 2015 – ACES (Air CarE in Special Situations) was born with its first flight, as a nonprofit network, supported by volunteers. It was an amazing achievement for aviation community in Brazil. They showed, as well, a shortest way from home to hope
.

Transportar pacientes em tratamento por via aérea não é nenhuma novidade. E essa rede de apoio nem foi pioneira nisso também. A novidade que a Rede ASES trouxe foi a mobilização entre pilotos, proprietários de aeronaves, profissionais da saúde, de assistência social, autoridades aeronáuticas e tantos outros entusiastas da aviação, o que resultou na comprovação de que é possível prestarmos apoio aéreo voluntário, sem fins lucrativos utilizando quaisquer aeronave da aviação geral. E caracterizando uma real função social da aviação civil.
Naquele mês dedicado aos aviadores, em 2004, alunos de uma Faculdade de Ciências Aeronáuticas (PUC-RS) coordenaram esforços para que a pequena H.B.V e sua mãe pudessem voltar para sua casa, distante mais de 700Km do Instituto do Câncer Infantil, no Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

E tudo começou com um bate-papo na Cantina do Prédio 30 da PUC-RS.

E tudo começou com um bate-papo na Cantina do Prédio 30 da PUC-RS. Um colega me perguntava como podia ser possível a um político de sua cidade, há mais 100Km da capital, poder manter um avião e ainda ajudar pacientes locais que precisassem ser atendidos em centros de referência mais distantes? Eu havia trabalhado no extinto Departamento de Aviação Civil (DAC) anos antes. E pelo que me recordava, se tal político não cobrasse nada para voar em seu avião homologado para voos privados, tudo bem, desde que não configurasse  serviço aéreo especializado de transporte aeromédico. Ou seja, se o paciente estivesse em condições de se deslocar por meios próprios, não necessitasse de nenhum apoio de suporte à vida (maca, cilindros de oxigênio etc), tal qual um passageiro convidado normalmente, em termos de legislação aeronáutica tudo bem. Mas talvez a legislação eleitoral sim cobraria dele alguma satisfação...eheh...
Angel Flight Mid-AtlanticSuzanne Rhodes
Mas resolvi pesquisar mais a respeito. E vi, que principalmente nos Estados Unidos havia uma profusão de ONGs e redes de apoio aéreo em que particulares se uniam para coordenar voos privados. E na Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido havia iniciativas já consolidadas. E mais tarde, até mesmo um livro publicado a respeito da história de tais organizações eu encontrei. Em sua maioria se identificavam como Angel Flights. E olhem que curiosa coincidência o início da ideia:

"In 1972, two pilots—one a federal career engineer, the other the pastor of a prominent church in Washington, D.C.—discovered a common passion for flying airplanes and serving people. One day over lunch, the men conceived a flight plan, one that would undergo many changes before becoming Angel Flight Mid-Atlantic, as it is known today. Ed Boyer of the U.S. Department of Health and Human Services and Dr. Louis Evans, pastor of the National Presbyterian Church, discussed how to pool their interests and qualifications."

Neste 2015 encontrei pessoalmente a autora Suzanne Rhodes e sua equipe, em Virgínia Beach, VA. Não só nos recebeu calorosamente nesta Campanha de Estudo sobre Apoio Aéreo Voluntário, nos EUA, como presenteou-me justamente com sua inspiradora obra.

Continuando a falar sobre aquela novidade colocada em prática em outubro de 2004, eu já tinha conhecimento de pelo menos duas organizações que faziam algo inspirador no Brasil. A ONG cristã Asas do Socorro e o próprio Correio Aéreo Nacional, da Força Aérea. Tanto nos voos missionários daquela ONG quanto nas chamadas Missões de Misericórdia da FAB, era prestado apoio aéreo sem fins lucrativos. Mas o que fazia do ASES sem precedentes era o link entre Quem Voa com Quem Precisa, partindo de uma mobilização da comunidade aeronáutica. Então, imaginem o que foi para nós, naquela manhã de 08 de outubro ver o pequeno Tupi (Embraer 712) decolando do Aeroclube do Rio Grande do Sul, levando a pequena H.B.V. (in memoriam) e sua mamãe (ambas nunca haviam voado) de Porto Alegre pra Três de Maio-RS. E um detalhe, o piloto era um médico (Dr.Aroldo), que anos antes entristeceu-se por não poder tratá-la no hospital onde trabalhava. E teve que encaminhá-la para o Instituto do Câncer Infantil. Quis Deus que suas rotas se encontrassem novamente; e que o agora piloto pudesse ajudá-la de uma forma que tratamento nenhum poderia dar: o sonho infantil de todos nós em Voar...

Obrigado, ASES pelos seus 11 ANOS!

(acompanhe a segunda parte desta história na semana que vem :-) )

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Em BREVE, voltamos com nossas Postagens! GUARDE ESTA DATA:


08 DE OUTUBRO DE 2015! (QUINTA-FEIRA)


Dear fellows, SAVE THE DATE: OCTOBER, 8 (THURSDAY)
We will RETURN TO THE POST, WEEKLY :-)


sexta-feira, 30 de abril de 2010

ICAO cria força-tarefa para estudar consequências das cinzas do Vulcão da Islândia

Icao cria força-tarefa para responder a atividades vulcânicas


A task force created to study the knowlwdgments about recent Icelander Vulcanic Ash, whom lead the caos on European aviation.
30/04/2010
Equipe de peritos de governos e da indústria irá preparar até o início de agosto um relatório sobre as lições aprendidas durante o recente período de caos aéreo na Europa; um roteiro com recomendações de melhorias para o setor será publicado com base no documento.

Vulcão na Islândia

Guilherme Freitas, da Rádio ONU em Nova York. *



A Organização Internacional de Aviação Civil, Icao, criou uma força-tarefa para responder aos prejuízos causados ao tráfego aéreo pela erupção de um vulcão na Islândia neste mês.
A 'Força-Tarefa Internacional de Cinzas Vulcânicas' criará um quadro de gestão de segurança, tornando possível determinar níveis seguros de operação no espaço aéreo contaminado por partículas de poeira.

Lições Aprendidas
A equipe de peritos de governos e da indústria irá preparar até o início de agosto um relatório sobre as lições aprendidas durante o recente período de caos aéreo na Europa. Um roteiro com recomendações de melhorias para o setor será publicado tendo como base o documento.
A meta da força-tarefa, segundo Raymond Benjamin, secretário-geral da agência, é criar orientações técnicas e operacionais para ajudar os Estados a reagir rapidamente a este tipo de situação.

Fazem parte do novo grupo os nove países que abrigam os Centros Consultivos de Cinzas Vulcânicas do Sistema Internacional de Aviação e Observação de Vulcões da Icao.

Brasil

O Brasil também irá fazer parte da força-tarefa por fabricar aeronaves comerciais, assim como a Espanha, que ocupa atualmente a presidência da União Europeia. Outras 14 organizações internacionais devem ser convidadas a integrar o órgão.
O Sistema Internacional de Aviação e Observação de Vulcões foi criado em 1987 pela Icao, em coordenação com a Organização Meteorológica Mundial, OMM, para fornecer informações aos Estados.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

ESQUADRÃO GORDO - 45 ANOS TRANSPORTANDO ESPERANÇAS!!!

A Brazilian Air Force Squadron - called ESQUADRÃO GORDO (The Fatboy Squadron) from 5th Air Wing completes its 45th year flying around the world. It is equiped with the legendaries KC/C-130H Lockheed -Hercules. From Antarctic to Amazon jungle, from Angola calamities to Haitians disasters. The GORDO Squadron carries and brings back home the hope... and its motto:
ON "ICE", ON "REFUE*", ON "SEARCH"! GORDO, GORDO, GORDO!!!

Hoje, 26 de fevereiro de 2010, reinauguro o Blog com a comemoração dos 45 anos do Esquadrão Gordo - Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte da FAB.

A Força Aérea Brasileira tem se utilizado desse esquadrão desde a úmida floresta amazônica até às missões antárticas (único brasileiro a executá-la e único no mundo a voar o ano inteiro no Continente Antártico). Missões de Busca e Salvamento - SAR são rotina para o esquadrão, que permanece de prontidão diuturnamente para missões desse tipo.

É um orgulho pertencer ao GORDO e de ter amigos que, entusiastas como o fotógrafo Jesiel, enviam obras de arte para celebrar conosco esta data.

NO GELO, NO REVO*, NA BUSCA
GORDO, GORDO, GORDO!!!

Fraterno Abraço!!!

* REVO (REFUElling) - Operação de Reabastecimnto em Voo, quando a aeronave reabastecedora (KC-130) abastece aeronaves em pleno voo, a fim de aumentar a autonomia destas e obter ganhos estratégicos, como a superioridade aérea.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Air Show no Saguão do Aeroporto

Air Show at Airport Hall! It´s the newest wave created by TAP Airlines. The firs time was on december 23th, 2009. And 2010, again, on Rio de Janeiro´s Birthday - an excelent and cool way of marketing. See more...

A mais nova foma de xou aéreo é o que a TAP vem fazendo mundo afora... ou aeroportos afora...


Evocando datas significativas, como Natal, aniversário da cidade, dias nacionais, a empresa portuguesa inova ao proporcionar momentos lúdicos no que seria mais um dia de voos e estresses com o tráfego aéreo, bagagens e outros tipos de ansiedade. Inventa, com isso, nova modalidade de dança: Dança de Saguão....eheh

Veja o que eles fizeram no Natal
http://www.youtube.com/watch?v=RWhQJRtoLxc

E no dia do Aniversário da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro
http://www.youtube.com/watch?v=oqMrZ83T4FI

Parabéns, TAP! Qual será a próxima...