BOAS DICAS :-)

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

O PRIMEIRO VOO AO AEROPORTO SANTOS-DUMONT

EM TEMPOS DE REFORMA AEROPORTUÁRIA, DE CANCELAMENTOS E ATRASOS, PRIVATIZA NÃO PRIVATIZA... VALE DAR UMA OLHADA NA HISTÓRIA E VER QUE JÁ FOI BEM PIOR... OU MELHOR...


Junker 52 "Cidade do Rio de Janeiro" da VASP


O primeiro vôo


A Vasp pretendia lançar sua linha São Paulo-Rio, com dois vôos repletos de autoridades, um em cada sentido. Foi assim que, com nome de “Cidade de São Paulo” estampado na fuselagem, decolou do Campo de Congonhas um Junker 52, trimotor, de fabricação alemã, com sua lotação de 17 passageiros completa, rumo ao Distrito Federal.

No mesmo horário, 08:40h, partia o avião batizado de “Cidade do Rio de Janeiro” um aparelho igual também lotado, rumo a capital paulista. Duas horas mais tarde, tempo previsto, com boas condições meteorológicas, as aeronaves aterrissaram. Mas houve imprevistos e as duas se acidentaram: a primeira quase caiu ao mar; a segunda, ao pousar na pista ainda provisória de Congonhas, colidiu com carroças usadas na movimentação de terra. Resultado: a inauguração da pista foi adiada.

Pouco tempo depois, em 30 de novembro de 1936, repetiu-se a tão esperada viagem de inauguração, organizada pela Vasp, com um dos seus dois aparelhos Junker 52, o “Cidade de São Paulo” que pousou então, com absoluto sucesso, no agora denominado Aeroporto Santos-Dumont.

Fonte: Site da Infraero (exceto imagem)

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

VARIG LOG-ON ou LOG-OFF...

Juíza aceita plano de recuperação da VarigLog


Decisão judicial contraria resultado de assembleia dos credores em que

minoria que detém maior parte das dívidas recusou a proposta








Sentença diz que empresa é viável e considera que a manutenção dos empregos e o estímulo à atividade econômica são prioritários






FELIPE CARUSO

PAULO DE ARAUJO

COLABORAÇÃO PARA A FOLHA



Mesmo sem a aprovação de parte dos credores, o plano de recuperação

judicial da Varig- Log foi aceito pela Justiça.

A decisão da juíza da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de

São Paulo, Renata Mota Maciel, desconsiderou o resultado da última

assembleia de credores, no último dia 23, em que a minoria que detém a

maioria do crédito -cerca de R$ 184 milhões, ou 62% da dívida-

rejeitou o plano.

Os trabalhadores, que têm R$ 3,8 milhões a receber da empresa,

aprovaram por unanimidade a proposta.

Em sua decisão, a juíza diz que vê "com ressalva o resultado da

votação, que não reflete o real interesse dos credores e da manutenção

[da empresa]".

Na sentença, Maciel destaca que, entre os 27 credores que rejeitaram o

plano, de 129 que estavam presentes na assembleia, alguns detêm

interesses concorrenciais diversos daqueles relacionados à recuperação

de seus créditos.

Como exemplo, ela cita o caso da Atlantic Aviation Investment LLC,

maior credora (cerca de R$ 28 milhões) e que representa interesses da

Lan Chile, concorrente da VarigLog.

A sentença considera que o artigo 47 da Lei de Falências defende a

manutenção do emprego dos trabalhadores, a preservação da sua função

social e o estímulo à economia.

Ainda de acordo com a sentença, a continuidade das operações, apesar

das dificuldades, demonstra a capacidade de recuperação da empresa.

Procurada, a VarigLog afirmou que vai convocar para amanhã entrevista

coletiva com a presidente da empresa, Lup Wai Ohira, e o presidente da

Oceain Air, German Efromovich, que pretende adquirir o controle da

VarigLog.



Funcionários

A presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Graziella Baggio,

disse que a decisão da juíza é uma boa notícia para os trabalhadores.

"O importante é que possamos manter a companhia em operação e

preservar os empregos", afirmou.

A VarigLog emprega hoje aproximadamente 720 pessoas. Antes de ser

adquirida pelo fundo americano Matlin Patterson, em 2006, a empresa

tinha cerca de 2.500 funcionários, segundo Baggio. "Só em março, a

empresa demitiu 700 aeroviários."

O advogado Marcello Panel- la, que defende os sócios brasileiros da

VarigLog Marco Antonio Audi e Marcos Haftel, afastados do controle da

VarigLog por decisão judicial, disse que o plano de recuperação está

longe do ideal, do ponto de vista do interesse dos credores, mas ao

menos dará condições para a companhia se manter solvente.

A decisão ainda não foi publicada no "Diário Oficial", mas a sentença

já está registrada em cartório. O prazo para recorrer da decisão

começa a correr após a publicação.

"Espero que não haja recurso, mas não posso apostar. Seria no mínimo

absurdo, porque a sentença está muito bem fundamentada. Se entrarem

com recurso, vai ser uma questão de interesses divergentes que se tem

com a companhia", afirmou Laura Bumachar, advogada da VarigLog.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Vamos pensar aviação...

Seja BEM-VINDO!


Aqui você discute, opina, sugere e critica.

E eu provoco a cada semana um assunto!

O ASSUNTO DA SEMANA É: " VOCÊ SABE O QUE SÃO OS 'ANGEL FLIGHTS'? "
 Dá uma olhada no vídeo ao lado. Mas o melhor vídeo deles mesmo você visualiza se buscar
"angel flight signs" - diz tudo!